Buscar
  • Cloudlive

A Black Friday foi um sucesso, se para sua loja não foi, então tem algo errado com seu negócio???


As vendas no e-commerce bateram a marca dos R$ 3,5 bilhões nos quatro dias de Black Friday em 2018, alta de 25% em relação a 2017, aponta um estudo da Ebit em parceria da agência Nielsen.


Já o número de pedidos cresceu para 6,14 milhões. Considerando apenas os dados até a sexta-feira (23), o tíquete médio aumentou 8%, equivalente a R$ 608,00. O número de consumidores únicos (que fez ao menos uma compra online), no período da BlackFriday, cresceu 9% em relação a 2017, equivalente a 2,41 milhões.


O número superou a expectativa da Ebit|Nielsen para 2018, que previa alta de 15% no faturamento, comparando a expectativa das agências com o volume real de venda temos uma alta de +6,4%. O valor do tíquete médio ficou em linha com o que estava previsto.

Vários motivos explicam o sucesso de 2018, quem explica é Ana Szasz, líder comercial para Ebit/Nielsen.


"Os números apontam que o consumidor brasileiro esta incluindo a internet para comprar e vender produtos/ serviços, se o seu negócio não esta conectado com este segmento então você terá problemas no futuro."

O crescimento foi muito impulsionado pela confiança dos consumidores na Black Friday que vem aumentando a cada ano. A desconfiança do consumidor sobre a veracidade dos descontos vem diminuindo, segundo pesquisas anteriores, a desconfiança diminuiu de 38% (2017) para 35% em 2018.


Na quinta feira às categorias que mais se destacaram estão perfumaria e cosméticos, que em 2017 ainda era muito dependente da venda de perfumes, este ano produtos como cuidados com o cabelo, cuidados com o corpo, desodorantes e dermocosméticos venderam muito mais.


A sexta-feira (23), por sua vez, foi dominada pelos produtos de tíquete médio mais elevado, como Smartphones, itens de linha branca e TVs. O diferencial desta vez, explica Ana Szasz, é que o ritmo de vendas foi constante durante o dia, e aumentou consideravelmente a noite quando comparado com o ano anterior.


O primeiro deles foi o faturamento da quinta-feira (22), de R$ 608,7 milhões, com mais de 1,18 milhões de pedidos. “A véspera foi acima da expectativa do mercado, o que mostra que o consumidor já entendeu que a quinta-feira à noite já é Black Friday”, disse. Além disso, os telefones celulares também tiveram um papel importante para a conversão em compras devido a propaganda das redes sociais que deram ao consumidor mais conhecimento das promoções de diversos varejistas em tempo real.


Se do lado dos consumidores essas são as razões do sucesso, do ponto de vista do mercado, Ana Szasz aponta que os varejistas mostraram-se melhores estocados e estruturados para suportar o tráfego extra da data, bem como mantiveram esforço em tecnologia e em publicidade para prolongar o período, ao identificar a oportunidade de manter o ritmo de vendas.


Um informação importante é que as vendas computadas pela Ebit/Nielsen são B2C, de produtos novos e realizadas através do e-commerce. Não estão inclusas passagens aéreas, serviços de entrega ou transporte nem venda de veículos.


E como essa informação te ajuda?

Bom, a maneira de consumir está mudando, o brasileiro tem cada vez mais incluído o ecommerce no dia a dia para comprar e vender produtos e serviços. Isso significa que se você, em seu negócio, não está atento a este movimento e não pensa em entrar no mundo digital com toda certeza suas vendas estarão prejudicadas daqui para frente.

6 visualizações